Transformações sociais e tecnológicas são destaque no pós-NRF 2023

As transformações sociais, ambientais e tecnológicas que impactam o varejo foram tema das palestras realizadas, na tarde desta terça-feira (31), no Interactive Retail Trends, evento realizado pela Gouvêa Ecosystem em São Paulo. O encontro reuniu, durante todo o dia, especialistas, CEOs e consultores do grupo para falar das novidades e debates apresentados na NRF Retail´s Big Show 2023, a maior feira de varejo do planeta, que ocorreu em Nova Iorque (EUA), há duas semanas. O já tradicional evento pós-NRF – que à exemplo do ano passado, foi phygita – contou com a audiência de mais de 5 mil pessoas só pela internet.

Para os palestrantes, o mundo vive um momento de grandes transformações, e as empresas precisam investir em pessoas, tecnologias e sustentabilidade. Isso garantirá sua longevidade no mercado, conexão com os consumidores e a proteção do planeta Terra. Carlo Pereira, CEO do Pacto Global na ONU Brasil, lembrou que, apesar de o mundo todo ter melhorado muito nos últimos 30 anos, atualmente vivemos crises climáticas, econômicas e sociais, e este cenário exige que líderes e empreendimentos tomem medidas para atender às demandas sociais e melhorar sua pegada ambiental.

“As empresas têm tudo a ver com o futuro da humanidade. Pesquisas mostram que 80% das pessoas esperam que as lideranças das companhias se preocupem e tomem medidas em prol da sociedade e meio ambiente”, disse o CEO da Rede Brasil do Pacto Global.

Ainda segundo Pereira, as grandes empresas internacionais já entendem a importância de investir em sustentabilidade, governança e na qualidade de vida de seus colaboradores e clientes. Isso fez com que a maioria já tenha membros exclusivamente para tratar do tema em seus conselhos administrativos. Outras empresas têm estabelecido pagamentos de bônus atrelados ao cumprimento das metas de sustentabilidade.

“A sustentabilidade deve ser um norte para os negócios. Este é um movimento de placa tectónica que tem o mesmo impacto que a Revolução Industrial teve para a humanidade, só que tudo isso ocorrendo na escala da Revolução Digital”, destacou o especialista da ONU Brasil.

Mudanças no mercado de trabalho

Com o público mais preocupado com diversidade e inclusão e a preservação do meio ambiente, as empresas de todos os setores têm que se adequar às mudanças, com impactos no tipo de profissionais a serem contratados e na forma de contratação, bem como no modo de conquistar e fidelizar ou engajar a clientela. E a tecnologia surge como uma grande facilitadora para os empreendimentos se adaptarem a este momento de modificações, com coleta e análise de dados precisos sobre os consumidores.

Na NRF 2023, foram apresentados muitos equipamentos e sistemas que ajudam o varejo a se adaptar aos novos anseios do consumidor, e tudo com preços acessíveis e que integram facilmente às tecnologias já usadas pelas empresas.

“As novas tecnologias ajudam o negócio a trazer o cliente de volta para a loja, com coleta de dados e meios de engajá-los mais facilmente. Mas lembre-se: com a Revolução dos Dados, não basta apenas coletar as informações, é preciso saber ler os dados. É preciso analisar tudo e entender a melhor forma de se conectar com os clientes. O empreendedor não pode esquecer jamais que o objetivo é conectar com pessoas”, disse Monique Pires, communication leader da Proteína Digital.

Carlos Carvalho, CEO da Truppe, também falou sobre como a tecnologia está transformando as profissões e os trabalhos. Mas reforçou que sem as pessoas não é possível criar uma cultura inovadora dentro do negócio.

“O mundo, as pessoas e os empregos estão em transformação. Por isso, é preciso preparar os times para serem catalisadores de mudanças, sem isso não há transformação. E se não há mudança, a sobrevivência do negócio pode ficar comprometida”, afirmou Carvalho. “As tecnologias vêm para auxiliar as pessoas no processo de transformação”, acrescentou.

A importância do varejo no PIB

Pela manhã, Marcos Gouvêa de Souza, fundador e CEO da Gouvêa Ecosystem, abriu o Interactive Retail Trends e falou sobre a importância do varejo para a economia de cada país.

“Hoje, a participação do varejo no PIB de cada país é um indicador importante de evolução de mercado. Quando uma economia se desenvolve, a população migra da área de produtos para a área de serviços. Na área de alimentação, por exemplo, existe a transformação da compra dos produtos para se fazer em casa, para a compra do serviço de food fora dela. E essa tendência, indo para outras áreas, faz o mercado se aquecer”, apontou o CEO da Gouvêa Ecosystem. “O varejo será cada vez mais protagonista. As perspectivas são boas para os próximos anos”, acrescentou.

Em um estudo comparativo entre 2000 e 2022, com dados do Censo Bureau, a evolução das vendas no varejo geral norte-americano passou de uma base de 100 para 256. No Brasil a evolução foi de 100 para 196.

“O chamado varejo de valor cresceu muito nos EUA e foi um pouco mais tímido no Brasil. Olhando para trás, podemos ver o quanto estamos migrando ao longo do tempo para o varejo de valor. É a busca do mais por menos”, esclareceu Gouvêa.

FONTE: VAREJO S.A

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp

Artigos relacionados