Setor de serviços retoma o nível pré-pandemia em Minas Gerais

Depois de apurar queda de 1% em abril frente a março, a atividade de serviços voltou a crescer em Minas Gerais. A Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apurou uma elevação de 2,1% em maio na comparação com o mês anterior. Já quando comparado o resultado do quinto mês de 2021 com igual período de 2020 foi observado incremento de 26,9%, um dos mais expressivos do País.

De acordo com a supervisora de pesquisas econômicas em Minas Gerais do IBGE, Cláudia Pinelli, o resultado já representa o retorno ao patamar pré-pandemia e foi puxado pelo segmento de serviços prestados às famílias, que vinha com uma sequência de retrações, mas que com o avanço das medidas de flexibilização das atividades no Estado, nos últimos meses, tem retomado o fôlego.

“Aos poucos já vemos restaurantes, hotéis e outras atividades de serviços prestados às famílias sendo retomados e aquecidos, principalmente porque foi o segmento mais atingido durante o fechamento. Tanto é que no acumulado do ano e em 12 meses ainda continua com resultado negativo, mas a tendência é que, mantendo o retorno das atividades e com o avanço da vacinação, esse resultado vá sendo diluído”, explicou.

O desempenho do setor de serviços de uma maneira geral acumula alta de 12,6% no acumulado dos cinco primeiros meses deste ano e de 1,8% nos últimos 12 meses.

Vale destacar que os resultados por atividades em Minas Gerais, na comparação com o mesmo mês do ano anterior, apontam variações positivas do volume de serviços em todas as cinco atividades investigadas: outros serviços (56,9%), serviços prestados às famílias (48%), transportes, serviços auxiliares ao transporte e correio (46,4%), serviços profissionais, administrativos e complementares (15,2%) e serviços de informação e comunicação (8,4%).

Acumulado – No acumulado de janeiro a maio, apenas o grupo de serviços prestados às famílias apresentou baixa (-10,6%). Os demais tiveram desempenho positivo e o destaque ficou por conta de outros serviços (47,7%) e transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (24,6%).

Da mesma maneira, no acumulado dos últimos 12 meses, o segmento de serviços prestados às famílias apresentou ainda teve queda de 28%. Já os destaques positivos com outros serviços (26,8%) e transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (5,5%).

Fonte: Diário do Comércio

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp

Artigos relacionados